top of page
  • Marcos Cintra

Alíquotas, alíquotas e alíquotas. Por que se calam?

Sem estimativas de alíquotas estamos assinando um cheque em branco, e saltando no escuro.


Alguns especialistas como Heleno Torres até recomendam que a Lei Complementar, com alíquotas, seja conhecida ANTES da PEC, para haver transparência e responsabilidade.


Estamos vivendo um momento surreal. Com o festival de alíquotas beneficiadas para conquistar votos na Câmara, a PEC 45 original foi estuprada, assim como o Imposto Único Nacional foi estuprado pela CPMF.


Para manter a arrecadação constante, a alíquota padrão estimada passa de 30%, e isto sem considerar os misteriosos regimes especiais, que ninguém sabe o que serão.


Uma insanidade.


A alíquota estimada pelo GT08 do Consefaz é de 33,24%.


Com esse valor os preços explodem, os mercados minguam, e o desemprego aumenta.

Que tal arroz ter aumento de 19,4% em impostos?


Ou Desenvolvimento de sistemas e TI, de 50%?


Ou educação privada, de 30,8%.


Ou condomínios, de 43%?

Comentários


Topo
bottom of page