top of page
  • Marcos Cintra

As contradições do governo…

preocupados com as finanças do INSS , querem cobrar contribuições dos Uber da vida.

Vai aumentar o preço para passageiros. E reduzir ganhos dos motoristas.


É claro, evidente e óbvio que o motorista do Uber não é funcionário. É apenas o usuário de uma plataforma de serviço, sem vínculo trabalhista.


Por outro lado, o governo apoia projeto que isenta prefeituras de pagarem INSS aos seus CLT’s.


Quanta irracionalidade.


Será que não perceberam até agora que o INSS vai quebrar se depender de contribuições trabalhistas tipo CLT ?


Por que insistir?


Há caminhos alternativos, sim, mas preferem insistir no desastre.

Topo
bottom of page